domingo, 18 de março de 2012

entre o sonho e o concreto, me saem os serialistas


o segundo em que acordamos é um dos momentos mais importantes do dia. o inconsciente se alastra e se funde completamente com a consciência. é uma fusão bonita. vislumbrar o concreto e o subjetivo juntos se confundindo. lembro que, nesta noite, acordei com vômito quase saindo da boca. foi um susto, de repente. e a primeira coisa que pensei, neste segundo palpável e místico, foi "quase que ponho pra fora todas as músicas que escutei esta noite: Chopin, Webern, Schoebenrg e Nico" e não na comida que tinha ingerido na mesma noite. curioso, não? até eu me surpreendi com isso. ainda não pensei sobre o que isso significa, apenas continuo mesmerizado pela magia do acontecimento.


3 comentários:

bruniuhhh disse...

em elo à Haísa: há pensamentos que são tão lindos por não terem significados (ainda?).
acho bonito ver coisas assim nascerem.

Rita Loureiro disse...

mesmerizar, palavra chave desse achado... amo essa palavra e essa sensação...

Rita Loureiro disse...

volta teo! ^^