segunda-feira, 12 de março de 2012

assassínio


porque não há melhores sentimentos do que aqueles após sua morte, após o ataque a si mesmo, as mortes planejadas que me acontecem todos os dias. ou as mortes do acaso. essas são um caso sério. é preciso ter paciência. e, de verdade, quando não me levo à morte (diferente do suicídio), é quando me sinto estagnado, reverenciando a essência da própria infertilidade. matar a si próprio é uma prova de pura criatividade, de fazer nascer e ser teimoso, um tanto indisciplinado, ser rebelde e assassinar as suas inertes convenções. valores congelados, idéias plantadas em terreno árido, seco, marrom e cruel. ganir diante do nada, tarefa de difícil compreensão, esforço no ofício de destruir sua familiar figura.


5 comentários:

Rita Loureiro disse...

*-* você já disse tudo.

Rita Loureiro disse...

"matar a si próprio é uma prova de pura criatividade, de fazer nascer e ser teimoso,"

Rita Loureiro disse...

um dia, você vai escrever um livro de mantras pra mim, já tenho alguns colecionados que me lembro sempre, mas você sempre me vem com mais alguns! vou compilar todos eles :)

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.