sexta-feira, 27 de maio de 2011

carvalho

no dia em que eu acordar uma mulher completa, cabelos longos e seios em riste, você me reconhece, prova do meu amor maduro, me segura pelos braços, me estapeia o rosto, me abre as pernas de forma abrupta e me esmaga os quadris com peso dos seus. me chama pelo meu nome de fêmea, Isa. ou Isabela.
não me incomodo com seus pés afundando meu crânio na terra ou seus braços enormes forçando a minha boca a provar do seu texto rigido escondido nas suas calças. não me chame para a cama pois eu, Isa, me sentirei torturada, como se a sua lingua fosse metal quente nos meus mamilos. continue as estocadas no meu intimo e não pare quando sentir a porrada no meu utero. desnude-se, desnude-se, ataque.
isa, tenha piedade de si
só me deixe ser um pedaço de carvalho onde você esculpe as suas emoções. deixe-me ser vulnerável ao seu nãoritmo.




3 comentários:

Rita Loureiro disse...

"no dia em que eu acordar uma mulher completa, cabelos longos e seios em riste, você me reconhece, "

Tou arrepiada todinha.
e vai demorar pra passar.

que coisa linda, que coisa Forte, que coisa...

Rita Loureiro disse...

outra coisa, essa mulher dessa foto desse jeito, é um sonho de consumo

teo almeida disse...

Esse sou eu, fazendo uma singela homenagem a Anaïs Nin. :)