segunda-feira, 22 de novembro de 2010

sobreviver

A morte nos cerca o tempo todo e de todas as formas no nosso cotidiano. Não há como negar. As possibilidades são inúmeras e, mesmo assim, não morremos subitamente (até as 'mortes súbitas' têm antecedentes). Creio que isso seja fruto da confiança humana no seu próprio instinto e no instinto dos outros. O maior instinto humano é o de sobrevivência. A cada segundo, através da existência, nos provamos que podemos continuar vivendo, e esse é o sustentáculo do nosso corpo - não necessariamente a coluna vertebral.

Não faço de mim
Uma coisa
Simplesmente
A sou






















by Troublenight

4 comentários:

-any valette disse...

sobreviver dói, mas é fundamental :)

teo almeida disse...

sobreviver pode doer. pra mim, é mais uma questão de opção.

Rita disse...

Amei a imagem.
E essas palavras foram tão profundas quanto um abraço, que não precisa de palavras.

Sim, um dia vamos morrer isso é um fato, então, porque se apegar a coisas mesquinhas? Vamos só viver...

D. disse...

Instinto é uma idéia ultrapassada, seu 'instinto de sobrevivência' se perde na veneração às idéias.

Aí reside 'confiança', nas idéias. Dúvidas?

Vivemos.